Cursos para docentes precisam ter 50% de carga presencial

Cursos de licenciaturas precisarão ter 50% de carga presencial: MEC atualiza regra

Uma atualização importante realizada recentemente pelo Ministério da Educação (MEC) indica que os cursos de formação para docentes precisarão ter 50% de carga presencial.

O MEC aprovou o parecer do Conselho Nacional da Educação (CNE), que estabelece que esses cursos, incluindo licenciaturas, deixem de ser 100% a distância.

A educação a distância (EAD) para formar professores cresceu consideravelmente nos últimos anos, especialmente durante e após a pandemia. Entretanto, muitos especialistas começaram a questionar se essa é realmente a melhor opção para preparar os futuros educadores.

Mas afinal, agora que cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial, o que irá mudar para instituições de ensino? Como a sua IE pode se preparar para esse novo modelo de ensino?

É isso que você vai saber no artigo de hoje. Para entender melhor sobre essa decisão, continue a leitura.

Cursos de licenciaturas precisarão ter 50% de carga presencial: o que isso significa?

O Ministério da Educação (MEC) oficializou as recentes orientações curriculares nacionais para os programas de formação de professores.

A mudança mais significativa é que o ensino a distância pode corresponder a apenas 50% da carga horária total. Sendo assim, as instituições de ensino que oferecem cursos de licenciatura devem disponibilizar metade do curso de forma presencial.

A discussão sobre o tema foi acompanhada pelos especialistas no setor devido ao aumento no número de cursos de pedagogia oferecidos por instituições de ensino com notas baixas nas avaliações do MEC, assim como pela oferta de cursos de licenciatura a distância.

Atualmente, no que diz respeito aos futuros educadores, quase 40% das inscrições para cursos de formação estão na modalidade EAD.

A decisão é válida para:

  • Cursos de licenciatura,
  • Cursos de formação pedagógica para graduados não licenciados, e
  • Cursos de segunda licenciatura.

Quais são as principais mudanças?

Agora que os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial, mudanças significativas irão ocorrer.

Como já foi mencionado, a principal mudança está relacionada à inclusão no ensino presencial.

Quanto a outras mudanças, podemos mencionar:

  • Estrutura curricular: os cursos precisam ter uma estrutura dividida em quatro núcleos – formação básica, específica da área de formação, estágio supervisionado e extensão.
  • Formação para graduados não licenciados: a  carga horária mínima exigida para a formação pedagógica de graduados não licenciados foi ampliada para 1.600 horas.
  • Segunda licenciatura: os cursos precisam ter carga horária mínima de 1.200 a 1.800 horas.

Fonte: G1

Histórico das Regulações de EAD

Com a chegada da internet às residências brasileiras, as instituições de ensino superior perceberam um novo mercado educacional.

A reforma educacional de 1996, instituída pela Lei nº 9.394/96, oficializou pela primeira vez a educação a distância no Brasil, tornando essa modalidade educacional válida para diferentes níveis de ensino.

Nesse cenário, o MEC iniciou o processo de credenciamento das instituições de ensino superior para oferecer educação a distância apenas em 1999.

Desde então, pudemos ver um crescimento enorme nessa modalidade. O objetivo, de modo algum, é substituir o ensino presencial, mas sim, oferecer novas opções de aprendizagem, adaptadas às necessidades dos alunos.

No Brasil, a EAD é regulamentada por instrumentos legais que estabelecem os critérios para a autorização do ensino à distância.

Quais os principais impactos?

De acordo com a homologação publicada no diário oficial da união, as IEs terão dois anos para se adaptarem às principais mudanças.

A discussão já estava sendo realizada desde o início do governo atual. Para o MEC, trata-se de algo importante, devido a preocupação com a qualidade do ensino.

Embora o documento sozinho não possa resolver todos os problemas educacionais, estamos falando sobre um ponto importante na formação de docentes.

Contudo, para entender se a mudança está sendo positiva, é necessário também determinar a forma como o MEC irá analisar a qualidade dos cursos ofertados.

Com isso, os cursos de licenciatura não poderão mais ser realizados 100% à distância.

Reação da comunidade acadêmica brasileira

Os alunos e as instituições de ensino demonstraram insatisfação através de declaração públicas, pedindo uma revisão da medida para não prejudicar os estudantes que contam com a acessibilidade dos cursos online.

Afinal, muitos estudantes enfrentam dificuldades com a grade horária dos cursos presenciais, podendo ser prejudicados pela medida. Além disso, há aqueles que residem em regiões remotas, com acesso limitado a recursos educacionais.

As críticas destacam a necessidade de avaliar as condições dos alunos e dos professores, pensando em soluções que garantam igualdade e acesso à educação para todos, independentemente da localização ou disponibilidade de tempo.

O MEC deixou claro que todas as partes interessadas serão ouvidas e que a decisão final passará por processos de homologação, assegurando uma transição flexível para o novo modelo educacional.

As novas regras demonstram o esforço para equilibrar os benefícios da educação online com as experiências práticas das aulas presenciais, melhorando a qualidade do ensino brasileiro.

Cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial: quais são os objetivos?

Certamente, essa nova regra causou preocupações em instituições de ensino, principalmente aquelas que trabalham com cursos online.

Entretanto, existem vários objetivos por trás disso, como por exemplo:

Qualidade do ensino

O mais conhecido deles é a qualidade do ensino nos cursos de licenciatura. A exigência da formação presencial busca aprimorar o ensino, garantindo que os professores estejam preparados para ensinar outros alunos.

A tecnologia trouxe mudanças extremamente importantes para o setor educacional. Uma delas foi o aumento no número de aulas à distância.

Há plataformas e ferramentas que tornam essa modalidade de ensino efetiva e acessível. Entretanto, a qualidade desse modelo começou a ser questionada.  Aliás, cerca de 85% dos educadores acreditam que os cursos presenciais formam docentes mais qualificados.

Vivência em sala de aula

Quando os futuros professores têm a oportunidade de estar em um ambiente escolar real, eles podem experimentar de perto o que é ser um educador.

Isso é um dos motivos pelos quais os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial.

É uma jornada que vai além do ensino tradicional, pois passa pela convivência com os estudantes e a superação dos desafios comuns para os docentes.

Ou seja, nesse momento de imersão, os profissionais podem adquirir as habilidades necessárias para desenvolver técnicas de ensino mais humanizadas e inspirar alunos.

Como as instituições de ensino podem se preparar para essa mudança?

Agora que os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial, muitas IEs e professores já estão pensando em como se preparar para essa mudança em cursos de licenciatura e formação pedagógica.

Embora possa causar impactos imediatos, já que muitas instituições precisam reformular seu modelo de ensino, é importante lembrar que elas terão tempo para se adaptar.

Pensando nisso, vamos mostrar algumas formas de se adaptar à nova atualização do MEC, que define que cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial.

Veja, abaixo, algumas dicas para se preparar para o novo cenário de forma mais eficiente e tranquila:

1. Desenvolvimento de atividades presenciais

Nos últimos anos, o setor educacional passou por uma transformação digital muito grande.

As plataformas de aprendizado estão sendo cada vez mais utilizadas para a IE se comunicar com o aluno e divulgar conteúdo de qualidade. Além disso, as redes sociais se transformaram em importantes canais de comunicação.

No entanto, é importante reconhecer que as atividades presenciais oferecem benefícios que não podem ser totalmente replicados no ambiente digital.

Enquanto as ferramentas digitais proporcionam flexibilidade e conveniência, fazendo com que alunos de diversas partes do país possam assistir a mesma aula, as interações presenciais continuam sendo recomendadas para estimular o aprendizado.

Considerando a mudança que estabelece que os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial, as atividades presenciais se tornam ainda mais significativas para as IEs em alguns cursos.

2. Capacitação e desenvolvimento dos professores

Os docentes podem começar a se preparar para a mudança no formato de ensino.

As aulas online continuarão sendo aplicadas, mas agora, também é importante pensar no ambiente presencial. Sendo assim, vale a pena oferecer workshops e cursos de atualização focados em metodologias de ensino híbrido, além de técnicas eficazes para aulas presenciais.

Isso significa que a sua IE pode estimular a participação em conferências para que os professores dos cursos de licenciatura possam se preparar para tais tendências educacionais.

3. Integração com a tecnologia

Como você já sabe, com a nova mudança do MEC, os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial. Desse modo, não dá mais para focar apenas em aulas online.

De qualquer forma, a tecnologia continua sendo essencial para estimular o aprendizado e desenvolver conteúdo de qualidade, para ensinar e inspirar os estudantes.

Os ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) complementam o ensino presencial, pois oferecem outras atividades que estimulam o aprendizado.

Essas plataformas permitem que os alunos revisem o conteúdo online e se preparem para as aulas presenciais, otimizando o tempo em sala de aula.

As ferramentas tecnológicas não são importantes apenas no ensino EAD, pois elas também trazem recursos valiosos para otimizar o aprendizado em sala de aula.

4. Promoção de atividades extracurriculares

Atividades extracurriculares são uma parte integral da vida estudantil em muitas instituições de ensino. Elas não só oferecem oportunidades para a aquisição de novas habilidades e conhecimentos, mas também desempenham um papel crucial no fortalecimento das relações interpessoais entre os alunos.

Elas proporcionam um ambiente em que os estudantes podem explorar temas que vão além do currículo tradicional.

O envolvimento nessas atividades permite que professores e alunos de cursos de licenciatura apliquem o conhecimento adquirido em sala de aula em contextos do mundo real, melhorando habilidades práticas que serão importantes para eles no futuro.

Agora que os cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial, a promoção de atividades extracurriculares se torna ainda mais importante.

Cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial: quais os principais desafios?

A implementação da exigência de 50% de carga presencial nos cursos de formação para docentes irá trazer vários benefícios para o setor educacional, mas também, alguns desafios.

É que estamos falando de uma medida que irá impactar diretamente o Ensino à distância, assim como professores de determinados cursos e os alunos.

Primeiramente, há questões logísticas que precisam ser consideradas, como a necessidade do espaço físico para oferecer aulas presenciais, assim como recursos financeiros para melhorar a infraestrutura.

Também é importante garantir a acessibilidade dos docentes e dos estudantes, já que nem todos podem ter fácil acesso a locais de formação presencial.

Outro desafio importante é garantir que as atividades presenciais sejam significativas e inspiradoras para o desenvolvimento profissional dos futuros professores.

Isso requer um planejamento cuidado com o desenvolvimento de experiências de aprendizagem e do conteúdo de qualidade para estimular a busca ao conhecimento e a excelência.

Agora você já sabe mais sobre essa grande decisão, que impõe que cursos de formação para docentes precisam ter 50% de carga presencial.

A Smarketing Edu oferece soluções exclusivas para instituições de ensino que querem melhorar a qualidade de seus processos e conquistar mais alunos.

Estamos por dentro das principais mudanças, tendências e regras do setor e, por isso, temos a expertise necessária para auxiliar a sua IE em diversos processos e etapas.

Para saber mais, entre em contato e fale com um de nossos especialistas!

Uma atualização importante realizada recentemente pelo Ministério da Educação (MEC) indica que os cursos de formação para docentes precisarão ter 50% de carga presencial.O MEC aprovou o parecer do Conselho
LEIA MAIS

As estratégias de marketing e publicidade mudaram muito nos últimos anos. Com o desenvolvimento da tecnologia e a ascensão da publicidade, a mídia programática ganhou mais espaço no mercado. Você
LEIA MAIS

No contexto atual, o futuro do mercado educacional está sendo moldado por evoluções tecnológicas e mudanças sociais, que impactam também o comportamento dos alunos e o ambiente de aprendizado.O avanço
LEIA MAIS

A régua de relacionamento educacional é uma estratégia poderosa para melhorar o relacionamento com os alunos e aumentar o número de matrículas.A comunicação com os estudantes é uma peça-chave dentro
LEIA MAIS

plugins premium WordPress