o fim dos cookies

O fim dos cookies: entenda como isso afeta na captação de alunos  

O fim dos cookies em 2023 já é um dos marcos mais falados na internet, mas você realmente sabe como isso afeta a captação dos alunos

Com o anúncio do Google em parceria com a ideia de aumentar a privacidade dos estudantes e preservar informações pessoais, muitos já começaram a pesquisar formas de se adaptar a essa mudança. 

Vale destacar que o fim começaria em 2022, mas foi adiado para o ano seguinte como uma forma de facilitar a adaptação das instituições online. 

A partir disso, nesse post, você vai descobrir tudo o que precisa saber sobre o assunto e já se preparar para o futuro que está à sua espera. 

Esse conteúdo contém informações valiosas para ajudar sua instituição. Boa leitura! 

Cookies – O que são e como funcionam 

Primeiramente, vamos resumir brevemente a que se refere os cookies, um termo em inglês que já causou algumas confusões entre os mais conversadores. 

Assim, os cookies funcionam como uma ferramenta online que ficam nos sites, sendo um pedaço de um código.

Dessa forma, o objetivo desse pedaço de código é captar e guardar partes de informações de quem acessa o site. 

Geralmente, informações de navegação são guardadas pelos cookies, como as suas informações de login ou preferências, como sites que mais acessa ou palavras-chaves que mais pesquisa. 

Como resultado, esse código é capaz de melhorar a sua experiência online, deixando-a mais personalizada. 

Vale destacar que o lançamento da Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD trouxe novamente essa discussão à tona. Obrigando os sites a informar aos visitantes sobre os cookies e como essas informações seriam usadas. 

Também é possível bloquear os cookies dos sites, ainda que isso possa limitar um pouco o acesso, ou mesmo excluir as suas informações salvas, tanto nos computadores como nos celulares. 

Por fim, funcionam como um cofre de dados que identifica os alunos em potencial e facilita a sua vida online. 

Claro que isso também permite que os sites usem esses dados para criar estratégias de venda, melhorar a conversão, criar conteúdos melhores e assim por diante. 

O fim dos cookies – Entenda o que aconteceu 

O Google é um dos maiores e mais usados motores de busca e, em 2020, anunciou que não daria mais suporte para os cookies de outros sites, chamados de terceiros. 

De acordo com a plataforma, a medida vinha junto com a LGPD, para aumentar a privacidade de dados dos usuários. 

Inicialmente, o Google afirmou que faria isso a partir do início de 2022, mas adiou para 2023. 

Com isso, a gigante ganha mais um ano para se adaptar a essa alteração. 

Mas não é só isso, o principal objetivo do motor é ter tempo para entender como o público vai reagir a essa mudança, se existem soluções melhores e quais são, bem como consultar órgãos regulamentadores. 

Logo, seria possível evitar qualquer ponta solta no sistema. 

Ao mesmo tempo, o Google conta com milhares de publicidades e precisa ouvir essa parcela da indústria. 

A grande verdade é que a ação da plataforma “respinga” nas campanhas de marketing digital em muitas instituições de ensino, principalmente por ser tão impactante no mercado. 

Em resumo, muitas instituições de ensino anunciam no Google e fazem uso desses cookies. 

Dessa forma, existem duas questões: manter e lidar com o risco de exposição de dados ou realizar o fim dos cookies em 2023 e interferir em milhares de companhias. 

Seja como for, o socio de marketing e mídias Vitor de Angeli disse que isso era algo esperado para os próximos anos. 

De acordo com Angeli, assim que a Lei foi anunciada, as grandes plataformas começaram a repensar a forma de captar dados. 

A plataforma fará essa mudança em duas etapas: primeiro o teste e lançamentos da APIs no Chrome, com duração de nove meses para adaptação. 

E segundo, o fim dos cookies em 2023 com o abandono dos códigos, durando três meses. 

Como isso afeta a captação de alunos nas estratégias de marketing digital?

Agora que você está a par do que está para acontecer, vem a dúvida de como exatamente isso afetará a sua instituição de ensino. 

Neste aspecto, o fim dos cookies em 2023 são o de terceiros, ou seja, aqueles que são de outros sites, como os de anúncios. 

No caso, os cookies de quem acessa o seu site, vão continuar funcionando. 

Isso quer dizer que o impacto maior está nas estratégias de marketing digital. 

Afinal, o acesso aos dados será mais limitado, o que faz com que você tenha menos informações para analisar e usar na sua instituição. 

Em outras palavras, grande parte da eficiência e assertividade das estratégias seriam comprometidas. 

Ao mesmo tempo, com esse anúncio de “fim dos cookies”, diversas faculdades já iniciaram pesquisas para descobrir o que fazer com este novo cenário. 

O mesmo aconteceu logo que a LGPD veio à tona. 

Então, a expectativa é que o mercado acompanhe essas mudanças e traga novas soluções e tecnologias. 

O próprio Google já está trabalhando em novas ferramentas, como o FLoC, que faz a coleta de dados grupais e não individuais.

Na sua estratégia de marketing, isso pode trazer diversos problemas por reduzir o acesso a informações como:

  • Nome e e-mail; 
  • Interesses; 
  • Localização; 
  • Páginas que o usuário visitou, etc. 

Com isso, a redução dessas informações dificulta o processo de criação de campanhas mais efetivas. 

Afinal, você terá unicamente os dados que a sua página coleta, sendo que são uma pequena parcela. 

Dessa forma, as ações de retargeting, remarketing e anúncios serão diretamente impactadas. 

O fim dos cookies na prática 

Uma maneira simples de entender como isso impacta na instituição de ensino e em todo o seu trabalho de marketing é pensar na força da marca. 

Quando um usuário da internet acessa diversas páginas sobre cursos e ensino, os cookies pegam essa informação e entendem como um interesse. 

O resultado, é que apresentam essas informações para o usuário mais vezes, nos anúncios e campanhas em blogs, sites e redes sociais. 

Agora, imagine que um aluno em potencial viu a sua instituição, teve interesse e clicou em alguma campanha em sites de terceiros. 

Com o fim dos cookies em 2023, essa informação seria perdida. 

Logo, ele não veria mais ou menos campanhas e anúncios da faculdade enquanto navega pela rede, o que reduz o impacto da sua marca nele bem como a possível conversão. 

Então, seria necessário impulsionar as estratégias de cookies primários, dentro do seu site. 

Em outras palavras, incentivar o público a acessar a página oficial, assinar a newsletter, seguir nas redes sociais e assim por diante. 

Como ajustar a sua instituição de ensino a nova realidade 

Mesmo com as medidas e o ano todo de espera, o fim dos cookies em 2023 é uma realidade e ainda não há um substituto para essa ferramenta. 

Portanto, você precisa começar a se adaptar ao que está por vir e se preparar para essas mudanças. 

Com isso em mente, existem algumas estratégias interessantes para começar a adicionar no seu cronograma de ações: 

Incentivo a cookies primários: 

Os cookies primários são aqueles que estão na sua página e que vão continuar recolhendo informações dos usuários. 

Por isso, é interessante focar um pouco mais nessa estratégia para ter dados consistentes de público e evitar que as suas campanhas e anúncios tenham resultados negativos. 

Dessa forma, é essencial incentivar o seu público a migrar entre suas redes, chegando até o seu site bem como demais redes. 

Por exemplo, direcione os alunos de uma página a outra com informações preciosas para ele ou mesmo através de incentivos. 

Como um ebook gratuito, acesso a algum conteúdo online, como vídeos, crie listas de email para enviar conteúdos, ofertas e informativos, etc. 

Tudo isso será um grande diferencial para as instituições de ensino a partir do próximo ano. 

O fim dos cookies em 2023 é uma oportunidade de preparo: 

Como, em teoria, você ainda tem um ano para se preparar para essa mudança, não há mais tempo para esperar. 

Sendo assim, comece a trabalhar para criar um reconhecimento da sua marca no mercado agora, com todas as informações que tem. 

Além disso, veja outras maneiras de colher dados, como pesquisas e email marketing. 

Aumentar a visibilidade dos serviços que a sua instituição oferece e quais são os diferenciais dela para os alunos é essencial nessa etapa de transição. 

Esse também é um incentivo para as instituições melhorarem a qualidade dos serviços, criar uma segmentação de público e anúncios cada vez mais personalizados. 

Além disso, o preparo deve focar em design, melhora no atendimento/relacionamento com o público e em todo o processo de pré e pós-venda. 

Ferramentas e equipe: 

Por fim, com o fim dos cookies em 2023, uma das maneiras de evitar a evasão dos alunos e aumentar a captação é ter uma equipe preparada e ferramentas de apoio. 

A equipe deve estar pronta para atender novos alunos, mas também para garantir que aqueles que já fazem parte da instituição se sintam realmente valiosos. 

Daí a importância de criar um setor de customer sucess. 

As ferramentas também são importantes para manter o fluxo da faculdade online, como as ferramentas de automação para segmentar melhor as informações e desenvolver estratégias mais eficientes de marketing. 

Conclusão 

O fim dos cookies vem como uma medida extra de proteção de dados, junto com a Lei Geral, que já está sendo incorporada desde o ano passado. 

Dessa maneira, a expectativa é que o processo seja iniciado agora, mas finalizado no ano seguinte. 

Vale destacar que esse fim se refere aos cookies de terceiros, que o Google não vai mais dar suporte. 

Com isso, aumenta a expectativa por novas estratégias de marketing e relacionamento nas instituições de ensino. 

Se você ainda tiver alguma dúvida, fale com um de nossos especialistas e comece a melhorar os resultados de sua instituição.

 

Uma atualização importante realizada recentemente pelo Ministério da Educação (MEC) indica que os cursos de formação para docentes precisarão ter 50% de carga presencial.O MEC aprovou o parecer do Conselho
LEIA MAIS

As estratégias de marketing e publicidade mudaram muito nos últimos anos. Com o desenvolvimento da tecnologia e a ascensão da publicidade, a mídia programática ganhou mais espaço no mercado. Você
LEIA MAIS

No contexto atual, o futuro do mercado educacional está sendo moldado por evoluções tecnológicas e mudanças sociais, que impactam também o comportamento dos alunos e o ambiente de aprendizado.O avanço
LEIA MAIS

A régua de relacionamento educacional é uma estratégia poderosa para melhorar o relacionamento com os alunos e aumentar o número de matrículas.A comunicação com os estudantes é uma peça-chave dentro
LEIA MAIS

plugins premium WordPress